Pilates na gestação!

Há tempos atrás, a gravidez era considerada como sendo o período em que a mulher precisava ter certos cuidados, hoje considerados fora de propósito. Agora, a palavra de ordem é gravidez saudável; cultivar bons hábitos que incluem: alimentação balanceada e exercícios físicos moderados, mas constantes, que garantam uma melhor qualidade de vida durante e depois da gravidez.

O Pilates está entre as modalidades de exercícios recomendados para esse período, pois ao contrário do que se acredita, grávidas podem usufruir da prática, à exceção daquelas que se encontram em gravidez de risco, ou tiveram algum tipo de complicação que devam seguir recomendações médicas de repouso, a fim de evitar maiores conseqüências.

O método Pilates auxiliará a gestante no período pós-parto, facilitando o retorno mais rápido do abdômen e diminuindo a flacidez característica deste período, os exercícios ajudam a suportar melhor o peso da barriga, combatem o inchaço e ainda facilitam o nascimento no parto normal, além de diminuir o risco de incontinência urinária na gravidez e no pós-parto. Além disso, a prática regular de Pilates durante a gestação acalma o bebê por haver uma menor concentração de cortisol na corrente sanguínea da mãe.

Outros benefícios do Pilates na gravidez são:
• Alongamento dos músculos das costas e pernas, que diminui a dor e o desconforto;
• Maior controle sobre o peso;
• Condicionamento físico;
• Melhora da respiração;
• Melhora da circulação sanguínea;
• Maior oxigenação para o bebê.

As aulas de Pilates para gestantes podem ser realizadas 1 ou 2 vezes por semana.
As contraindicações do Pilates na gravidez são relativas e não existe nenhuma que seja absoluta. Desde que a mãe e o bebê estejam saudáveis e o profissional que a acompanha tenha ampla experiência em trabalhar com Pilates na gravidez, os riscos são praticamente inexistentes.